Intolerância Religiosa

Postado em 23/04/2015 • Preleção0 comentário

Lei Contra a Intolerância Religiosa – Lei 11635/07 | Lei nº 11.635, de 27 de dezembro de 2007

Um Estado secular ou estado laico é um conceito do secularismo onde o poder do Estado é oficialmente imparcial em relação às questões religiosas, não apoiando nem se opondo a nenhuma religião. Um Estado secular trata todos cidadãos igualmente, independentemente de sua escolha religiosa, e não deve dar preferência a indivíduos de certa religião.

Intolerância é uma atitude mental caracterizada pela falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar diferenças em crenças e opiniões. A intolerância pode estar baseada no preconceito, podendo levar à discriminação.

A intolerância religiosa não nasceu ontem, mas Jesus já sofria na sua época. O que vemos é a busca do poder pelos sacerdotes/lideres de algumas religiões, através da ideia que detém a verdade absoluta.

Jesus nunca pregou uma verdade absoluta, mas sim a existência de Deus e seus mandamentos.  E o maior de todos, “Amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”.

A umbanda como religião não precisa ser tolerada, mas sim Respeitada. É direito de cada um acreditar na crença que lhe convier, até porque na minha convicção, a religião tem que lhe “arrepiar”, emocionar, fazer escorrer lágrimas, tocar nossos corações. Precisamos nos identificar com o local que frequentamos e não sermos coagidos ou obrigados a ir onde não queremos. Assim como podemos aceitar que pessoas entrem em terreiros ou igrejas e destruam nossas imagens e patrimônios e fiquem impunes? É direito e dever previsto pela Constituição Brasileira essa liberdade e não podemos fugir da responsabilidade que é sim, defender nossa crença de qualquer ataque ou julgamento ofensivo a nós direcionado. Qual a diferença entre, Jesus, Jeová, Oxalá, Alá, Zeus entre outros? O importante é religar-se, a Deus e sempre de coração aberto, buscando crescimento espiritual.

Hoje dia 23 de abril, data católica, do Santo padroeiro dos soldados São Jorge, exerço meu direito, conquistado pelos ancestrais de cultuar OGUN, deus da guerra, com a tranquilidade de sair na rua  homenageando e gritando o nome do Meu Orixá, sem ser atacado e julgado. E já que combatemos a intolerância com amor, peço que todos juntos façamos, em nome do armistício, um pedido a Deus, que fora feito por Jesus:

“Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo!” Lucas 23:34.

Desde o início dos tempos, as várias culturas, vários segmentos, demonstram o poder e a existência de Deus através da pluralidade de muitas cores, sons aromas, símbolos e manifestações!

Portanto para o Mundo espiritual nessa guerra não haverá vencedores!

Intolerância Religiosa

Daniel Russo Montenegro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas